A RACIONALIZAÇÃO DOS ASANAS

Artigos

Apresentação:

O Ashtanga Yoga apresentado por Patanjali descreve “asana” como o terceiro degrau depois da descrição dos yamas e niyamas como os dois primeiros degraus. O Asana desempenha um proeminente papel no yoga-sadhana. Considerando a publicidade e a populariedade do Yoga nos tempos modernos, tem-se a impressão do Yoga como uma prática somente de asanas. Existem muitas práticas yoguicas além de asanas. Asana é só uma das formas da prática yoguica. Considerar só a prática de asanas como Yoga, é um conceito errado.

A palavra asana é usada para conotar uma “postura” ou um assento para sentar-se. Neste artigo, trataremos de asana somente como postura.

 

Princípios do Asana:

Patanjali tratou o tópico “asana” em três sutras.A primeira destas sutras é muito importante. Neste sutra três palavras aparecem, sthira, sukha e asanam. As palavras sthira e sukha representam dois princípios importantes.O asana deve ser estável e confortável. O termo asana é descrito com base em dois critérios, o de “estabilidade” e o de “conforto”. Consideramos estas duas palavras tão importantes que praticamente todas as perguntas relacionadas ao asana podem ser respondidas com estas duas palavras.Como fazer os asanas? Quando praticá-los? Por quanto tempo? Quantos asanas devemos praticar? Quais os pontos importantes que devem ser trazidos à mente durante a prática? Todas estas perguntas podem ser adequadamente respondidas, em poucas palavras, por estas duas palavras. Aqui, Patanjali mostrou sua habilidade no uso de aforismos. O uso de duas palavras, juntas, sugere uma conotação especial para o asana, também. Em geral, os asanas são considerados como um exercício físico. Consideramos esta opinião absolutamente incorreta.

A palavra sthira é normalmente usada para denotar estabilidade física, e sukha para representar o estado mental. A primeira é objetiva enquanto a última é subjetiva por natureza. O uso de ambas, juntas sugere uma condição psicofísica, e as palavras sthira e sukha no sutra sobre asana são indicativas dos aspectos físico e psicológico do asana. Embora o asana seja praticado pelo corpo, traz efeito na mente. Se o asana é um exercício físico, então não podemos esperar uma tranqüilidade mental como resultado. O objetivo do Yoga é Citta-vrtti-nirodha e o mesmo é experimentado através de todos os passos do Yoga. Os asanas não são exceção a isto. Mesmo se você considerar asana como um exercício, deve ser lembrado que é um tipo especial de exercício que não é somente físico, mas psicofísico por natureza.

A maioria das desordens modernas é considerada psicossomática por natureza. Seu tratamento deve também ser feito só a nível psicofísico. Nas doenças psicossomáticas a prática de asanas pode ser definitivamente útil. Psiquiatras e praticantes da medicina psicossomática nos paises ocidentais, estão procurando ajuda nas suas práticas.

 

Classificação dos Asanas:

Geralmente, os asanas são classificados em duas divisões, a saber, asanas meditativos e culturais. O asana meditativo é uma postura estática que é mantida por uma longa duração para servir de uso em pranayama ou meditação. Os asanas culturais preparam uma condição psico – fisiológica congênita para a prática do asana meditativo removendo a morbidez física. Para evitar o acúmulo de fadiga durante a prática de asanas culturais, o relaxamento é praticado. Dentre os poucos asanas relaxantes, savasana é considerado como importante.

Padamasana, siddhasana, svastikasana, samasana, vajrasana, muktasana, guptasana e sukhasana são alguns dos asanas meditativos. O asana meditativo é descrito como Karacaranasthanavisesah que significa “um acordo íntimo das mãos e pés”. Isto dá escolha a uma pessoa poder selecionar o asana meditativo adequado com devido respeito às diferenças individuais.Tejobindupanisad descreveu as características do asana(meditativo) como se segue:

 

“Asanam tu ekatanena krtam duhkavaham bhavet,

Sanairabhyasata tasmadvardhayedane sthitim”.

 

“O asana, praticado de uma só vez, é desconfortável. A pessoa ganha estabilidade no asana pela prática lenta, e com tranqüilidade ela pode contemplar o Ser absoluto (Brahman) continuadamente”.

 

Características das posturas meditativas:

 

Outra característica do asana meditativo é a posição ereta da cabeça, pescoço e tronco (samam kayaserogriva). Qualquer flexão extra da coluna dorsal deve ser evitada. Esta é a posição padrão de qualquer asana meditativo. Todo o corpo fica igualmente equilibrado sem colocar qualquer tensão nos órgãos internos. Isto leva a diminuir o ritmo respiratório, e a mente pode ficar melhor concentrada.

 

“Sthiram syadasanam yasya as yogam kartumarhati

sariracalatabhave nahi cittam sthiram bhavet”

 

“Aquele que pode ficar estável no asana, está preparado para submeter-se às praticas yoguicas, com o corpo instável não se pode ter uma mente estável”.

Portanto, deve-se insistir em conseguir estabilidade no asana. O sucesso dos asanas meditativos é obtido gradualmente. Diz-se que um pratica intensiva e prolongada de asana leva à dor e desconforto. O período de manutenção no asana deve ser aumentado devagar.

 

Um elogio ao asana estável é expresso no seguinte verso:

 

“asane sthirata yate manah-sthairyam bhaved dhruvam,

pranasyapi gatirnunam sithika samprajayate;

indriyanam ca capaluam santimayati niscitam;

tato yogasya siddhih syat tasmadasanamabhyaset”.

 

“Quando o asana se torna estável, com certeza a mente também ganha estabilidade. O movimento do prana (respiração vital) na verdade, torna-se lento. A inconstância dos sentidos também fica, certamente, em repouso. Assim se fica estabilizado no Yoga e, portanto, se deve praticar Yoga”.

 

Posturas relaxantes e culturais:

Sarvangasana, matsyasana, halasana, bhujangasana, salabhasana, dhanurasana, matsyendrasana, mayurasana, etc. São chamados de asanas culturais porque influenciam vários órgãos favoravelmente através de uma assimilação e circulação melhoradas. O número de asanas culturais é muito maior do que o dos asanas meditativos e está aumentando cada dia mais.

Yastikasana, makarasana e savasana são alguns dos importantes asanas relaxantes. Foi observado, mesmo por médicos, que a pratica de savasana traz resultados benéficos em muitas desordens psicossomáticas que são o resultado das tensões e estresses da vida moderna.

 

As posturas Meditativas são anteriores às posturas culturais:

Se fizermos uma revisão histórica dos asanas, será visto que o numero de asanas culturais era muito pequeno nos tempos do passado. Mais ênfase foi posta nos asanas meditativos. Mas, quando foi observado que a pratica prolongada de asanas meditativos não era fácil, ao alongar vários órgãos ou flexionar e torcer o corpo em várias direções, provavelmente, esforços eram feitos em uma condição apropriada do corpo para manter o asana meditativo por um longo período. Gradualmente, foi verificado que com a pratica dos asanas culturais alguns machucados comuns eram eliminados dando lugar a um sentimento de bem estar. Posteriormente, a descrição de tais asanas incluiu os benefícios vindos destes asanas. Reclamações exageradas eram também feitas enquanto se descrevia a eficácia de alguns asanas. Assim, ver-se-á que a idéia de remover obstáculos na pratica prolongada do asana meditativo foi notável por trás da apresentação de vários asanas culturais.

 

“ASANA-JAYA” COMO UM AUXÍLIO PARA FUTURO PROGRESSO NO YOGA:

 

“Habilidade em manter um asana por um período de três horas em um alongamento é conhecido como “asana-jaya”.

 

“yada praharaparyantam sthiram syadekamasanam,

tada yogym vijaniyadasannm yogasadhane”

 

“Quando um asana fica estável por um período de três horas (aprahara), então pode se considerar estabelecido na prática do Yoga”.

 

Sua utilidade está na prática de pranayama e meditação. Se não estendemos esta racionalização, somos provavelmente enganados e praticar somente variedades de asanas infinitamente por toda a vida. Portanto, entender esta racionalização dos asanas é muito importante.

 

 

Fonte: http://www.colegiadodharmaparishad.com.br/A_Racionalizacao_de_Asanas.htm

[wpdm_file id=101]