CAMPO DE ENERGIA UNIVERSAL E CAMPO DE ENERGIA HUMANO

Artigos

Existe um conhecimento encontrado tanto nas tradições espirituais como na física moderna, que fala de um Campo de Energia Universal (C.E.H) e de um Campo de Energia Humana (C.E.H.). Tudo no Universo é energia. A matéria é uma forma mais densa de energia, os pensamentos e sentimentos são uma forma mais sutil de energia, e assim por diante.

Resumidamente, o ser humano é composto pelo seu campo de energia densa (corpo físico) e outros campos de energia mais sutis progressivamente: emocional, o mental e o espiritual. Esses campos são constituídos pelos nadis ou condutos energéticos, semelhantes aos fios elétricos que conduzem a corrente elétrica de uma casa e pelos centros de acumulação, metabolização e distribuição da energia – funcionando como baterias, que são os chakras. Esse C.E.H. é uma manifestação da energia universal ligada à vida humana. O C.E.H. está inserido e interligado ao C.E.U., há uma constante comunicação entre esses campos.

Podemos dizer que quanto mais livres, desbloqueados e estruturados nossos centros energéticos estiverem, mais eles poderão receber a energia do C.E.U., expandir seu nível de consciência e portanto experienciar a conexão entre o C.E.H. e o C.E.U., a realidade interna e a realidade externa.

Diz John C. Pierrakos em Energética da Essência, que “toda disfunção humana vem da negação do fluxo de energia (deixar entrar e sair – contração e expulsão)”. Quando a pessoa nega suas emoções primais, por exemplo: a raiva ou o medo, o fluxo de energia converte-se em bloqueios físicos e emocionais. Eles distorcem o todo do funcionamento da pessoa. O indivíduo que não tem consciência de seu potencial de destruição, prende uma grande quantidade de energia nessa negação. A energia do organismo se desacelera, se estagna e depois congela. As emoções – que são correntes de energia em movimento – tanto “as positivas quanto as negativas” ficam bloqueadas ao se bloquearem “as negativas”.

Portanto, trabalhar com cada nível, envolve uma tomada de consciência do aspecto de cada chakra em questão, um questionamento dos nossos valores em relação a eles, o reconhecimento dos nossos processos psicológicos em cada nível e então um aproveitamento real de sua energia em potencial no nosso processo evolutivo – a passagem de um nível de consciência a outro.

O campo de energia humana (C.E.H.) ou aura é a parte da energia universal (C. E.U.) associada ao corpo físico. Os chakras (ou vórtices) metabolizam a energia do campo de energia universal (C.E.U.) para o campo de energia humana (C.E.H.). Eles são aberturas por onde entra e sai a energia da aura. Por isso é importante trabalhar os chakras e aumentar o fluxo da energia, porque se deixarmos a energia vital fluir, mais sadios e vivos seremos. A doença geralmente é causada por uma obstrução ou interrupção do seu fluxo.

O campo de energia humana pode ser descrito como um campo luminoso que cerca o corpo físico e o penetra, emitindo uma radiação característica e própria. Os pesquisadores criaram modelos teóricos que dividem a aura em diversas camadas (ou corpos) que são definidos pela cor, brilho, fluidez, densidade e função. Cada corpo à medida que se afasta do corpo físico é constituído de substâncias mais finas e de vibrações mais elevadas, que ocupa o mesmo espaço dos níveis de vibrações inferiores e se estendem além deles. Assim, os sete corpos ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo, sendo que cada qual se estende para fora, além do último (cada corpo é mais uma versão dilatada do nosso eu, que carrega dentro de si as outras formas mais limitadas).

 

 

 [wpdm_file id=105]