POR QUE SENTIMOS MEDO?

Artigos

(Esta foi uma entrevista feita por Semirames Paterno perguntando para Lucia Maria de Oliveira Nabão, para o suplemento infantil do jornal “A Cidade” de Ribeirão Preto, publicada em 03 de junho de 2006)

1- O medo é um sentimento bom ou ruim?

Depende. Se for um medo que nos protege em relação a algo que pode ser nocivo ou perigoso, é um medo bom, saudável. Se for um medo exagerado que nos impede de enfrentar nossos desafios, é ruim, pois é o medo paralisante.

2- Como fazer para controlá-lo?

Se percebemos que o medo está fora de controle precisamos ver o que está acontecendo com nosso interior, buscar as raízes de nossa insegurança e desenvolver novos recursos para lidar com as situações que temos diante de nós.

3- Todo mundo tem medo?

Todos nós temos esse sentimento. O medo é uma resposta natural ao nosso instinto de sobrevivência. Queremos continuar vivos, não é? Mas a vivência do medo é diferente em cada um de nós. O que amedronta alguns não é o que causa medo em outros. Há um aspecto do medo que é cultural. Adquirimos o medo vivido por nossos pais, professores ou mesmo os medos que a mídia explora.

4- Como psicóloga, como trata do assunto?

Como psicóloga, investigo as raízes do medo de cada pessoa. Percebo que na maioria das vezes, os medrosos, na verdade, têm medo de seus sentimentos verdadeiros, evitam entrar em contato com a raiva, a ira, o ciúmes, o amor profundo, a tristeza. A vivência do mundo afetivo, para eles, é assustadora. Talvez eles não tenham aprendido, quando crianças, a ter direito de sentir. Podem não ter tido continência para o que sentiam. Continência é alguém que nos fale que está tudo certo com a gente, quando estamos tristes ou protestando e raivosos. Assim, no processo terapêutico, trabalhamos no reconhecimento e acolhimento dos sentimentos, que são próprios e de direito dos seres humanos.

5- E como terapeuta e professora de yoga, como o encara e trata?

No Yoga e nas tradições espirituais, o medo excessivo tem relação com um “esquecimento” de que há uma ordem universal. Então, temos os mantras que são os sons sagrados e as meditações que restabelecem nosso contato com o universo e com essa ordem e isso nos tranqüiliza.

6- Você tem medo de alguma coisa? Quando ele vem, o que você faz?

Eu sou uma pessoa otimista e acredito no ser humano. O meu medo é de perder essa crença, perder a esperança num ser humano e num mundo melhor para todos. Quando eu me sinto amedrontada procuro me conectar com meus valores, minhas crenças internas e me lembrar que existe uma ordem, mesmo no aparente caos. Procuro recordar que sempre podemos aprender coisas novas e crescer, mesmo num momento de crise ou de aparente caos. Incremento minha prática de mantras e de meditação, eles me ajudam a me centrar.

[wpdm_file id=146]